Para acompanhar as atualizações, faça seu cadastro no site www.sexologiajf.com.br ou siga-me no twitter: twitter.com/sexologiajf_mg

ATENÇÃO!!! È permitida a utilização, total ou parcial, das idéias e dos textos abaixo, desde que indique a autoria da Profa. Maria Lúcia de Freitas Beraldo. A referência bibliográfica deve ser feita da seguinte maneira, de acordo com a NBR 6023 – ago./2000 : 

Beraldo, M.L.F. Título do texto Disponível em: www.sexologiajf.com.br | Acesso em:(colocar a data em que acessou a página).


Disfunção Erétil


 

Estou  com 46 anos, sou casado há 24, e o que vem acontecendo comigo: fico excitado, mas de repente perco a ereção, tomei com conhecimento médico comprimido de  talalafila, só que agora  mantenho a ereção, mas não chego ao orgasmo! obrigado

 R, via site

Como você já consultou um urologista, creio que você não tem nenhum comprometimento orgânico,  senão ele iria te receitar também outros medicamentos. O fato é que estes potencializadores de ereção  funcionam bem para quem tem problemas orgânicos, pois eles agem especificamente no ponto  deficiente do organismo. Para quem não está nesta situação, eles funcionam mais  como um efeito placebo (sugestão psicológica), que às vezes não dura muito tempo se a raiz do problema não for sanada. Ao que tudo indica, seu problema tem uma origem  psicológica, relacionado  a ansiedade. Alguns episódios sucessivos ou não de perda de ou diminuição de ereção devem ter-lhe  deixado inseguro, e  você passou a ficar  com medo de perder a ereção no momento da penetração . Este medo te deixava ansioso e a ansiedade fazia com que acabasse perdendo-a realmente, pois  a reação física da ansiedade é   oposta ao mecanismo da ereção. Tomando o remédio, a sua ereção  passou a  se sustentar, mas como a ansiedade persiste, a penetração continua sendo uma  situação-limite para você. Creio que seja por isso  que  você não consegue relaxar o suficiente para  chegar ao orgasmo.  Isso tem solução sim, não se apavore. Só que  não é da alçada da medicina,  você deve procurar ajuda de um  terapeuta sexual. Se puder encontrar algum graduado em psicologia,  seria melhor ainda, pois  poderá ter uma escuta  mais adequada a seu caso, ok?Um abraço, boa sorte!

Meu namorado tem apenas 27 anos e já sofre um pouco com o problema da impotência. Ele já procurou um médico. Mas o que eu, como companheira, posso fazer na relação sexual para ajudá-lo, no sentido de reverter este quadro?

È muito bom que você esteja disposta a colaborar com seu parceiro. A primeira coisa a fazer é evitar qualquer forma de cobrança. Muitas mulheres acreditam que a melhor forma de ajudar o companheiro seria uma estimulação mais eficiente, seja física oi erótica, como fantasias, por exemplo. È certo que isto pode surtir um bom efeito, mas se ele estiver com medo de perder a ereção (o que é muito provável), isto pode agravar o quadro da disfunção. O mais adequado é que vocês evitem insistir na penetração. Você pode convidá-lo a ficarem nus, abraçados, conversando sobre qualquer assunto que não desperte ansiedade nele ou em você. Façam, em seguida, uma massagem um no outro, de forma alternada. Se desejarem, podem usar um óleo, creme ou gel. È importante que cada um vá dizendo onde e como gosta de ser tocado e, principalmente, que fique claro que o objetivo não é a ereção, somente o contato um com o outro. Por isso, durante os primeiros exercícios, evitem tocarem-se diretamente nas partes tidas como mais eróticas, como seios, vagina, nádegas e pênis. Na medida em que você notar que ele está mais á vontade e confiante, pode incluir as partes eróticas, mas mantenha o acordo que exclui a obrigação da ereção. Com este exercício, você estará ajudando a diminuir a ansiedade dele relacionada à situação erótica, o que tecnicamente chamamos de temor de desempenho.  Este exercício também fortalece o diálogo, além de aumentar o conhecimento um do outro em termos eróticos. Contudo, se nos exames médicos que seu namorado fez, não foi encontrado nenhum comprometimento físico, ou se ele já está fazendo uso de algum medicamento para a disfunção e continua apresentado o quadro, certamente há um comprometimento mais profundo no campo psicológico. Neste caso, é indicada uma intervenção clínica. Sugiro então que procurem um psicólogo com formação na área da sexualidade. Um abraço, e boa sorte!

Tenho 27 anos e sofro de Impotência Sexual. Quero saber se há solução para mim.

O leitor preferiu  não ser identificado.

As causas da disfunção erétil podem ser orgânicas, psicológicas ou mistas, isto é, as duas juntas, o que é mais freqüente. Na sua idade, as chances de ter uma origem psicológicas são grandes, porque os comprometimentos físicos que podem contribuir para um quadro de disfunção erétil geralmente começam a aparecer quando o homem tem mais idade. Infelizmente, certos medicamentos podem prejudicar o mecanismo da ereção, como certos anti-hipertensivos, ou no desejo, sexual, como alguns antidepressivos. Se você estiver fazendo uso de algum desses medicamentos, retorne a seu médico e peça que seja prescrito um similar que não comprometa sua vida sexual. Hoje em dia existe tecnologia de ponta criando medicamentos que, tendo os mesmos efeitos daqueles já existente no mercado, não interferem na vida sexual do usuário. Outros fatores que podem causar dificuldades de ereção são o uso prolongado de drogas, álcool ou cigarros em excesso. Se for este o seu caso, cuide mais de sua saúde! Dentro da nossa cultura, existem alguns mitos e crenças acerca da sexualidade que, longe de ajudar, acabam criando problemas mais cedo ou mais tarde.. Um deles é que o homem sempre deve estar a fim de fazer sexo. Deste modo, muitos homens se dispõem a fazer sexo em situações em que não estão tão bem fisicamente, como, por exemplo, muito cansados e indisposto psicologicamente, preocupado com assuntos de trabalho, dinheiro, problemas de família, ou afetivamente, como chateado com sua parceira, com conflitos mal-resolvidos, fazendo sexo somente para agradá-la ou até mesmo somente para cumprir a rotina semanal.
Desse modo, uma perda de ereção casual mexe tanto com a auto-estima do sujeito, no próximo encontro sexual, além do interesse pelo sexo, ele fatalmente vai se colocar á prova, desligando-se dos estímulos eróticos do encontro para confirmar se seu pênis está firme e se vai conseguir manter a ereção até o final. Isso vai criar um círculo vicioso chamado tecnicamente de temor de desempenho, onde o medo de perder a ereção acaba fazendo com que a pessoa a perca. Por isso, a primeira coisa que você pode fazer é parar de tentar a penetração. Procure um médico especialista (urologista ou andrologista) para verificar se há alguma causa orgânica. Se for encontrada, não fique apavorado: têm sido realizadas muitas pesquisas e há muitos medicamentos disponíveis nesta área. Se não for encontrada, e a disfunção erétil permanecer, você deverá procurar um profissional da área de psicologia, especialista em questões de sexualidade, para juntos buscarem as causas e a melhor forma de resolverem esta situação. Um abraço e boa sorte!


Gostaria de saber que se um homem, que toma diazepam 10mg e gardenal 100mg 2x ao dia, inúmeros medicamentos contra a hipertensão, tem colesterol  altíssimo, é diabético(alta), passou por infarto, fez angioplastia, implantou stent, é coronariopata e ainda tem uma mulher frígida e rude na maneira de amar - ou seja, não conhece o que é carinho e nem como ajudar o homem na ereção. Na  hora íntima fica conversando assuntos diversos. Tenho 57 anos e ainda sou um  masturbador nato e me sinto melhor do que praticar sexo com ela.

Acho que por eu usar o ato da masturbação me ajuda bastante porque o pratico desde criança. Devido a maneira da mulher e por eu usar vários medicamentos, além de eu ser  bastante ansioso e muito nervoso, gostaria de saber o porquê que não consigo que uma parceira fique por cima, ou seja, o pênis    não  sustenta! dá uma impressão que na base do pênis não há sustentação suficiente, embora em outras posições é quase tudo normal. Resumindo e perguntando: o que  poderá a vir ser essa situação e o que devo fazer para que possa tornar 100% em  um ato sexual? já que certos medicamentos auxiliares eu não posso tomar, devido  os problemas coronários.

Olá, João. Entendo que você tem algumas complicações sérias  de saúde, mas elas podem ser contornadas. Vc pode controlar a sua diabetes, e hoje em dia existem medicamentos para hipertensão que não alteram a ereção. Além disso, já existem potencializadores de ereção que podem ser usados por coronariopatas. Procure seu (s) médico(s)  e siga à risca suas instruções, e mantenha contato com seu psiquiatra também. Além disso, procure investir na sua relação com sua esposa,evite repetir atitudes que sabe ela não gosta, aumente aquelas que a agradam. A idéia é  a de que vc voltem a fazer parte do mesmo time. Por isso, não insista em sexo por enquanto: 

È possível que, na hora em que ela perceber suas mudanças, ela aceite colaborar um pouco mais, e aí,  se for necessário, procurem um especialista para orienta-la quanto a forma mais adequada de lhe ajudar.

Cuide de você, seja gentil com ela. Com isso, vc estará preparando o terreno da atratividade entre vocês dois, e criando condições para corresponder as expectativas de ambos na hora H. 

 


Av. Rio Branco 2721 sala 1502 - Centro - Juiz de Fora - MG

Tel.:(32) 3237-9241 ou 8821-8727
Blog SexologiaJF Youtube SexologiaJF Facebook SexologiaJF Twitter SexologiaJF Orkut SexologiaJF Sex Cidade
Corpyrigth @ - www.sexologiajf.com.br - Todos os Direitos Reservados