Para acompanhar as atualizações, faça seu cadastro no site www.sexologiajf.com.br ou siga-me no twitter: twitter.com/sexologiajf_mg

ATENÇÃO!!! È permitida a utilização, total ou parcial, das idéias e dos textos abaixo, desde que indique a autoria da Profa. Maria Lúcia de Freitas Beraldo. A referência bibliográfica deve ser feita da seguinte maneira, de acordo com a NBR 6023 – ago./2000 : 

Beraldo, M.L.F. Título do texto Disponível em: www.sexologiajf.com.br | Acesso em:(colocar a data em que acessou a página).


Desejo Sexual


Olá sempre que eu vou fazer sexo com o meu marido não consigo sentir prazer, não tenho vontade, passo meses sem sentir prazer! me ajuda ou meu casamento ira acabar se eu não conseguir fazer sexo.   Gisele, via site

Muitas  vezes a falta de  desejo sexual acontece devido a dificuldade de se alcançar o orgasmo.  A frustração sexual  faz com que o desejo diminua, mas  por cobrança do parceiro ou para manter uma rotina sexual, a mulher acaba se dispondo a fazer sexo sem vontade, o que faz com que a experiência seja ruim, e até dolorosa. Isto acaba criando um círculo vicioso. Sugiro uma conversa franca dom seu parceiro sobre o que está acontecendo e que você procure ajuda especializada o mais rápido possível.

 

Não tenho feito nada de sexo, tenho namorada e ela mora fora, só  vejo ela de 15 em 15 dias,  quando ela vem não tenho desejo por ela, mas não  consigo masturbar sozinho, quero alguém do meu lado, pode me ajudar? Tenho 30  anos e estou 25 dias sem gozar.

 Bem, para te dar uma boa orientação eu teria que saber muito mais dados, teria que te ver pessoalmente. A principio, vc pode estar com uma disfunção erétil de origem psicológica, que lhe acomete tanto na masturbação quanto na companhia feminina. Assim, quanto mais afetado você fica com esta situação, menos excitado vc fica, e daí menor a qualidade de sua ereção e sua predisposição para o orgasmo, em um círculo vicioso. Além do mais, experiências frustrantes relacionadas ao sexo acabam diminuindo a sua disposição para uma nova oportunidade, isso é, diminuindo o desejo sexual.  Vc é jovem, dificilmente isso tem uma origem orgânica, mas a terapia sexual pode lhe ajudar muito. Ela vai  verificar quando esse quadro começou, em que condições se dá sua relação com a parceira, e vários outros aspectos da sua vida afetiva e sexual, verificando as áreas de intervenção. Seu problema  tem tratamento, mas é importante que vc não deixe o tempo passar, procure um profissional, ok?

Tenho vontade de fazer sexo todos os dias, mas a libido do meu marido anda meio baixa. O que posso fazer para que ele fique excitado com mais freqüência? Você pode me ajudar a esclarecer essa questão? (Consultoria Revista Viva!mais)

Apesar de o senso comum apregoar que os homens pensam e gostam mais de sexo do que as mulheres, pode acontecer da libido feminina ser mais alta do que o do parceiro. Além disso, a resposta masculina é diferente da feminina: as mulheres, após um orgasmo, em pouco tempo estão dispostas a outra transa. No caso deles, existe um período chamado “refratário”, onde, depois de uma ejaculação, o homem tende a ter certa dificuldade em obter uma nova ereção. Este período é pequeno quando se é jovem, mas vai aumentando com o tempo, indo de minutos até a dias, dependendo da pessoa, sem que isso represente uma disfunção erétil. Por isso, é importante saber qual a idade do seu marido. Se ele estiver acima dos 40 anos, é natural que ele não esteja disposto todos os dias, por este motivo do qual falei. Neste caso, você poderá combinar com ele: quando vc quiser sexo e ele não estiver muito a fim, ele poderá fazer-lhe sexo oral, masturbá-la. Assim, ele ainda lhe dará prazer, sem se sentir cobrado a ter um desempenho perfeito em relação a ereção. Este acordo poderá ser útil também pra ele, nas situações em que ele estiver a fim e vc não estiver muito empolgada. Afinal, sexo é intimidade, e não só penetração.

 

 

olá boa tarde eu sou casada e tenho um menino com 4 anos e o meu marido antes do meu filho nascer dava-me muito carinho...quando chegava dava-me sempre um beijinho e quando fazíamos sexo dava-me sempre carinhos e muitas festinhas... agora não sei o que se passa com ele! Já não  sei o que fazer, porque ele não era assim agora só dá carinho ao menino e a mim não! e eu farto-me de chorar com esta situação... por favor, ajude-me!

C. via site sexologiajf.com.br

Cara C,

Penso que a razão do distanciamento dele não seja exatamente o menino. Talvez questões mal-resolvidas antes do nascimento, e que você tenha considerado menos importantes, tenham se intensificado com o tempo. De qualquer modo, a razão do comportamento dele deve ser perguntada, e não apenas deduzida: o fato é que você está carente e ver seu marido manifestar seu amor pelo seu filho a deixa magoada. Você tem motivos para se sentir assim, embora não tenha razão. Afinal, o amor que ele dá ao filho é amor de pai, e não há como cama e berço competirem pelo mesmo espaço. Mas compreendo que ao vê-lo afetuoso com o filho, você se  ressinta ao pensar “porque não comigo também?” por isso,  considero importante  você conversar com seu marido sobre o que está acontecendo. Não em tom de cobranças ou lamentações, mas como alguém que está interessado em saber de forma concreta o que se passa com o parceiro e com o relacionamento. Se  for uma questão de adaptação, com esta conversa você poderá orientá-lo a agir de forma que você se sinta amada. Caso esteja ocorrendo algum outro tipo de problema, vocês poderão procurar um profissional para auxiliá-los. Mas o principal de tudo será o diálogo franco e funcional entre vocês. Eu desejo boa sorte a vocês dois.

Ola, doutora,

Tenho 23 anos e eu não sou sexualmente ativo, na verdade ainda sou virgem. Mas o problema não é esse. Eu há + de 6 anos não sinto nem um prazer ao me masturbar, tudo que sinto é o esperma saindo como se fosse urina, e com um minuto de masturbação. O que me intriga é que eu tenho desejo, quando eu vejo uma mulher atraente eu a devoro com  os olhos e fico bem excitado, mas quando eu me masturbo, não sinto o menor prazer desde os meus 16 pra 17. Imagino  que se fizesse sexo seria a mesma frustração. Não sou nenhum tarado, sou capaz até de não pensar no assunto e ficar mais de mês sem me masturbar. Eu comecei a me masturbar eu tinha 11 anos, mas só com quinze que eu ejaculei p/ primeira vez. Nos primeiros anos eu tremia de prazer e folheava uma playboy inteira, parando por alguns segundos quando eu sentia que  ia ter um orgasmo e continuava e depois de muito tempo eu gozava e sentia um prazer inigualável. Não sei se isso é  relevante, mas eu gostaria de esclarecer o quanto isso é anormal eu prefiro me masturbar deitado de bruços sobre a cama  pressionando meu pênis contra o colchão a usar as mãos (isso é estranho?Me tire essa duvida). Eu também tenho fimose.
Seria possível eu voltar a sentir prazer?Eu sei que devo procurar um médico, mas na minha cidade não tem sexólogo e mesmo que tivesse eu não tenho nem plano nem dinheiro para um tratamento, alem de timidez. Obrigado pela atenção e  se você puder me esclarecer alguma destas questões por e-mail eu acho que já fico mais tranqüilo.  (P., via site sexologiajf.)

 

Oi Paulo!

Vou te responder por partes, ok?

1. quanto ao modo de vc se masturbar, não há nada de errado. Cada um faz da forma que acha melhor. Pra vc ter uma idéia, tem quem goste de se masturbar no vaso sanitário, prendendo o pênis entre a tampa do vaso e a louça...acho até engraçado, e penso até que pode ser doloroso...

2. Fimose: é bom operar, sim, por questões de higiene e saúde. Veja com seu médico.

3. Se vc já teve prazer antes e agora não tem mais, isso, apesar de um problema, é um bom sinal: vc já funcionou bem, e sabe com o que comparar. Seria bem pior se vc nunca tivesse sentido nada.

4. Pra dizer o que causou isso,  o que está mantendo e como reverter, eu teria que vê-lo, conversar com vc, preciso de muito mais detalhes. Do que vc me disse, só posso me arriscar a dizer que suspeito que vc enjoou de se masturbar. Refiro-me não em relação  a quantidade, mas  de ter  apenas a fantasia como opção. Assim, associado ao ato, vem a frustração, e este sentimento inibe o prazer. Não sei o que te levou a não ter experiências sexuais até agora, além da timidez,  mas acredito que possa ser algo relacionado a isso que está causando seu problema.  Isso é perfeitamente possível, pois orgasmo é uma coisa, ejaculação é outra. São processos diferentes que ocorrem simultaneamente.
Além disso, deduzir que o sexo com uma mulher seria a mesma coisa te leva a uma frustração ainda maior, sendo que você não tem dados concretos para chegar a essa conclusão: isso é o que vc receia e acredita que irá acontecer. Por isso  mesmo, as chances de acontecer aumentam, pois vc já entra em campo preocupado, e assim, as chances de perder a excitção são grandes. O medo é uma emoção forte e sem perceber, vc o está direcionando contra si mesmo. Com isso, sua auto-estima fica abalada, aumentando o problema como bola-de-neve.  Eu acho que vc deveria procurar um profissional, nem que seja um psicólogo comum, num primeiro momento, pois esta situação está ligada a outras. Um profissional com boa escuta poderá lhe ajudar, e vc não precisa nem deve levar esse problema por toda a sua vida. Boa sorte, fique com Deus!

Eu tenho uma duvida e  gostaria que a senhora me respondesse. Eu  tenho 18 anos e nunca tive  muito  interesse em buscar o sexo com o meu parceiro, gosto do ato mais não tenho muita  vontade em dar o inicio, sou muito fria...namoro já tem 1 ano e meio e amo muito o  meu namorado, mas venho  tendo problemas freqüentes por conta disso. Gostaria de  saber se isso pode ser psicológico, já que nunca tive uma relação muito aberta com meus pais nem amigas em relação a isso, e já tive esse  mesmo problema com outro namorado. Será que  pode ser hormônio ou algo relacionado a saúde mesmo?Agradeço desde já. ( B.C. via site sexologialf.com.br)

Oi! Na sua idade, é bastante difícil que o seu problema seja orgânico, no caso, de origem hormonal.  Mas de qualquer modo, é bom que você procure um ginecologista. Você toma algum anticoncepcional ? Se sim, pode ser que ele esteja influenciando na sua libido. Se não, pode ser que o medo de  engravidar a impeça de relaxar. Mas veja bem, são suposições, tá? E não impedem o efeito  psicológico da repressão sexual. O fato de você ter recebido poucas informações sobre sexo, e de ele  ainda ser um tabu para as pessoas que a cerca pode ter favorecido esta disfunção ( chamada baixo desejo sexual, ou desejo hipoativo) e esteja ajudando a mantê-lo. Isso tem cura, sim. Mas depende  muito da pessoa e do tempo em que ela convive com o problema, pois ela pode se adaptar a ele,  embora não seja algo agradável.  Para sair dessa situação, é importante que você invista no conhecimento do seu corpo, através do toque, da masturbação e  das fantasias. Além disso, você comentou que gosta  do ato, mas não sei se chega a ter orgasmo. Se não tiver, creio que a falta dele  seja  um fator fundamental para você não ter tanta vontade em procurar por sexo...Aconselho-a a procurar um terapeuta sexual, caso não consiga mudar esta situação sozinha. Boa sorte!

 

 

Tenho 36 anos e sempre tive uma vida sexual ativa. Porém, há uns dois anos não tenho tido mais desejo de transar. Sinto-me cansada e meu marido reclama porque sempre fui muito fogosa. Agora, passo até mais de um mês sem fazer sexo. Tenho medo de perder o meu marido. Será que estou doente?" 
O desejo sexual não é o mesmo ao longo da vida, pois sofre influência das diversas variações naturais  da existência. No seu caso, é importante analisar  o que mudou ou aconteceu ao longo destes dois anos: preocupações com doenças, seja  pessoal ou com familiares, problemas conjugais sérios  e  situações de estresse são fatores que, quando atuam de forma intensa e durante muito tempo,  diminuem o  desejo sexual.  È importante, neste caso, definir o fator causador e erradicá-lo da melhor forma possível. Em  alguns casos, no entanto, o que ocasiona a queda no desejo não é tão claro, agindo mais  no   campo inconsciente. Neste caso, a busca do apoio de um profissional da área é  o  mais adequado.


Maria Lúcia Beraldo
Psicóloga/mestre em Sexualidade humana

 Tenho medo de a minha namorada ser frígida. Por isso, queria saber mais sobre isso. O que é, como se caracteriza, a quem acomete, as formas de tratamento e, principalmente, se há cura. Agradeço a atenção e a possível ajuda.
O leitor pediu para não ser identificado
Tecnicamente abandonamos o termo "frigidez", por passar uma idéia de frieza, insensibilidade, que prejudica mais ainda a pessoa que já está com a auto-estima abalada. Hoje em dia referimos como "desejo sexual hipoativo", um dos transtornos do desejo, que ocorre quando a motivação sexual é extremamente baixa. Normalmente, para realizar o diagnóstico, verificamos se as fantasias sexuais e o desejo de atividade sexual são frequentemente deficientes (ou ausentes), mas para isso é necessário levar em consideração vários fatores, como a idade e o contexto da vida da pessoa. É observado também se o quadro chega a causar acentuado sofrimento e dificuldades no relacionamento com o parceiro. Além disso, é imprescindível observar se a origem da inibição do desejo sexual não é decorrente de causas não psicológicas, como baixa taxa hormonal, uso de drogas ou medicamentos, ou a uma condição médica geral, a fim de verificar se a origem refere-se a fatores psicológicos e orgânicos combinados. Qualquer pessoa pode apresentar um transtorno do desejo em algum momento da vida . Inclusive homens, mas as mulheres são maiores "vítimas" devido a algumas crenças e mitos que de alguma forma contribuem para a repressão da expressividade sexual feminina ao longo do seu desenvolvimento sexual. Este quadro pode ser permanente, isto é, a pessoa sempre teve baixa resposta sexual, ou adquirida - decorrente de algum fator recente na sua história pessoal. Pode ser global, ou seja, não há interesse por nenhum tipo de atividade sexual ou parceiro e não há nenhum tipo de fantasia sexual - ou situacional, onde a pessoa rejeita certa classe de parceiros, mas mantém o interesse pela masturbação, determinadas fantasias ou outros parceiros. Como você vê, o diagnóstico adequado só é possível a partir de minuciosa entrevista, normalmente mais de uma, a fim de verificar se a pessoa se encaixa dentro das definições e qual o quadro específico em que ela se encontra. Sendo isto feito, o profissional saberá definir qual a abordagem será mais promissora para o caso. Quanto ao prognóstico, é realmente difícil afirmar, pois depende muito de cada caso e sua complexidade. Contudo, havendo cumplicidade e disposição do casal, "é meio caminho andado". Sugiro que procurem um profissional para esclarecimentos mais aprofundados e, se necessário, um tratamento adequado.
Maria Lúcia Beraldo
Psicóloga/mestre em Sexualidade humana
 Namoro há cinco anos. Não sinto mais desejo sexual pelo meu namorado, mas ainda gosto dele. Tem  jeito de mudar isso? Como?  
A leitora preferiu não se identificar
A sua falta ou diminuição de desejo, embora seja o que mais lhe incomode, me parece ser mais um sintoma do que o problema principal. E não há como acabar com um sintoma sem saber e agir sobre o que o ocasionou. A intensidade do desejo não é constante na vida das pessoas: ele é afetado por variadas condições, como estados afetivos e saúde física, por exemplo. Muitas vezes, certos acontecimentos, embora possam não ter nada a ver com a vida afetiva – pelo menos diretamente – podem interferir no desejo. Acredito que, para você reverter esta situação, seria interessante alguns questionamentos: como era sua vida de um modo geral (trabalho, família, estudos, projetos pessoais), antes dessa queda do desejo e como está agora? Como era seu relacionamento com seu namorado, antes, e como está agora? O seu desejo sexual diminuiu só em relação a seu namorado ou a qualquer estímulo erótico? Você diz que está namorando há cinco anos. Este relacionamento está satisfazendo as expectativas que você tinha nos primeiros anos da relação? È... Acho que você vai ter muito que pensar neste fim de semana...
Maria Lúcia Beraldo
Psicóloga/mestre em Sexualidade humana
 Sou casada há 14anos, tenho 4 filhos e nenhuma vontade de fazer sexo  com o meu marido. Isso pode ser porque eu amamento o meu filho de 4anos ainda, ou  não, pois eu não amo mais o meu marido como antigamente? O que eu devo fazer? procuro um médico? tem tratamento? me ajuda!! Adalgisa, via site
Cara Adalgisa,
14 anos de casados é um bom tempo. Acredito que uma má  rotina pode ter tomado conta do seu relacionamento. Não sei se a sua falta de desejo refere-se só ao seu marido, ou se você perdeu todo o seu interesse por sexo. Mas o fato  de ainda estar amamentando deve estar influenciando também, pois a prolactina  (hormônio que estimula a produção do leite)   diminui sensivelmente o desejo sexual. Você já pode interromper a sua amamentação, pois seu filho não necessita mais do seu leite. Você deve sim,  procurar um médico, para que avalie seu nível de prolactina e testosterona, e a  correção hormonal irá retirar de cena um forte fator que contribui para manter sua disfunção.  Mas para  uma solução eficiente,  você deve interferir também no que causou esta disfunção, e seus motivos são intrapsíquicos. Por isso, acho que  o ideal seria você procurar um terapeuta para que possa se encontrar: qual o significado da amamentação para você, a ponto de manter este vínculo com seu filho até hoje? Você não gosta mais do seu marido porque faz sexo sem vontade, ou faz sexo sem vontade porque não gosta mais do seu marido? Qual o significado do sexo na sua vida?  Este casamento lhe oferece o que necessita? Solução, creio que há sim, mas você deve estar disposta a fazer uma  profunda viagem introspectiva.
Boa sorte!


Estou namorando há 4 meses; desde o inicio do namoro, o meu namorado  e eu transamos  todos os dias.Tem dia que nós transamos até 3 vezes.Isso é  normal?Existe um limite de quantidade? Luciana, via site.

Não, não há nada de errado! no começo, a química faz a relação pegar fogo, mesmo. Vocês estão em lua-de-mel! Só poderá ser um problema se um dos dois estiver fazendo sexo só para satisfazer o outro. Você está gostando deste ritmo ou acha excessivo? Se em algum momento  você não estiver a fim, não force a barra. Faça carinhos no seu gato até ele ficar satisfeito,  com sexo oral, masturbação, e guarde as suas energias para quando você estiver com vontade.

Um abraço!

Não tenho mais desejo sexual e tenho apenas 21 anos o que devo fazer meu marido já não agüenta mais me ajude por favor... (G., via site)

Cara G.

A queda brusca do  desejo sexual pode se dar por vários motivos, desde estresse causado por problemas no trabalho, familiares ou no relacionamento conjugal. Pode ser também causado por mudanças de anticoncepcionais ou doenças que causam alterações hormonais. Creio que o primeiro passo seria vc procurar seu ginecologista e pedir uma avaliação clínica minuciosa. Caso não encontre nada, talvez o caminho seja realmente a psicoterapia, de preferência especializada.

 

 

 


Av. Rio Branco 2721 sala 1502 - Centro - Juiz de Fora - MG

Tel.:(32) 3237-9241 ou 8821-8727
Blog SexologiaJF Youtube SexologiaJF Facebook SexologiaJF Twitter SexologiaJF Orkut SexologiaJF Sex Cidade
Corpyrigth @ - www.sexologiajf.com.br - Todos os Direitos Reservados